Aparelho dentário não é brinquedo

Estamos verdadeiramente alarmados com a venda indiscriminada de aparelhos e acessórios ortodônticos e com a adesão dos jovens a essa moda tão perigosa. Reportagens têm mostrado esses equipamentos sendo vendidos por ambulantes nas ruas de São Paulo, além de páginas no Facebook que ensinam a usar e “decorar” as peças.

Foto: divulgação/reprodução site gazetaonline
Foto: divulgação/reprodução site gazetaonline

Não bastasse o brasileiro já ter tantas dificuldades no acesso aos tratamentos dos quais realmente precisa, modismos oportunistas e práticas comerciais deploráveis ainda surgem para tirar proveito da falta de informação e da ignorância das pessoas.

Conselhos Regionais de Odontologia estão se mobilizando e preparando campanhas de conscientização sobre o tema, que é grave. Jovens que nem sequer alcançaram a maturidade óssea, ao colocarem irresponsavelmente esses acessórios em suas bocas estão condenando as estruturas de suas arcadas dentárias.

Os dentes, assim como os ossos da face, são estruturas sensíveis a qualquer aplicação de tensão ou força constante sobre eles. Alterações de forma, funcionalidade e perda de tecido (quantidade de osso mesmo) são as consequências dessas medidas tresloucadas, que como resultados visíveis podem culminar na perda de unidades dentárias, além de causar quadros dolorosos.

Além de tudo isso, o uso de um aparelho dentário sempre exige do paciente cuidados especiais de higienização. Antes da sua instalação, quando a pessoa tem cáries ou problemas periodontais, o ortodontista o encaminha para o tratamento desses problemas, a fim de não agravar os quadros durante o uso do equipamento.

Agora, imagine o que acontecerá com um jovem que utiliza dessas estruturas sem a menor orientação?!

É uma situação lastimável e esperamos que pais e educadores engajem-se para promover a conscientização nesse sentido, e que as autoridades tomem as providências cabíveis para punir quem lucra irresponsavelmente com isso.