Como higienizar implantes dentários

Equivocadamente, muitas pessoas pensam que, por não formarem cáries, as próteses sobre implantes não exigem zelo com a higienização. Mas essas pessoas se esquecem que a placa bacteriana pode continuar fazendo estragos, se não for constantemente removida. Sem a devida higienização, a saúde das gengivas e a estabilidade dos próprios implantes correm riscos.

O implante é, na verdade, uma estrutura de titânio não visível e não acessível ao paciente. Ele é colocado como uma base para receber a prótese – a parte externa, que entrará em contato com os alimentos e que precisará ser higienizada.

Este esquema em plástico mostra como funciona um implante dentário: o implante propriamente dito é a peça de titânio que entra no lugar da raiz do dente, sendo que a parte estética visível é chamada de prótese sobre implante; essa parte exige tantos cuidados de higienização quanto um dente natural.
Este esquema em plástico mostra como funciona um implante dentário: o implante propriamente dito é a peça de titânio que entra no lugar da raiz do dente, sendo que a parte estética visível é chamada de prótese sobre implante; essa parte exige tantos cuidados de higienização quanto um dente natural.

Portanto, os cuidados de higienização após a realização de um implante dentário continuam sendo, basicamente, os mesmos que se deve ter com os dentes naturais. O que irá variar, no entanto, é a anatomia da escova que poderá ser indicada pelo dentista. Geralmente, a opção é pelos modelos chamados interdentais ou unitufo, que são especialmente desenhadas para essa finalidade.

Modelo de escova unitufo, usada para higienização de implantes dentários.
Um dos modelos de escova interdental, usada para higienização de implantes dentários.

Assim, os principais conselhos de higienização são:

– Escovar todos os dentes naturais ou as próteses usando uma escova macia;

– Nas áreas implantadas, conforme a orientação do dentista, usar escovas especiais: as chamadas escovas interdentais ou unitufo, que limpam as regiões onde o acesso das escova comum é limitado;

Trocar a escova regularmente – a cada dois meses, em média;

– Continuar fazendo uso do fio dental antes da escovação. O modelo ‘superfloss’ já vem montado com um passa-fio, que também facilita a utilização nas próteses sobre implantes;

– Outra alternativa é o uso de fio dental a água, o “waterppik”, também bastante eficaz para ajudar a eliminar restos alimentares depositados entre os dentes e as gengivas, evitando a formação de placa bacteriana.

Um modelo dos vários modelos de waterppik (fio dental a água).
Um modelo dos vários modelos de waterppik (fio dental a água).

Para pacientes com necessidades especiais, com limitações na coordenação motora, pode ser recomendado o uso de escovas elétricas. Outro ponto muito particular é o uso de enxaguantes bucais, pois determinadas substâncias utilizadas nesses produtos podem manchar as próteses. Melhor optar pelo produto indicado pelo dentista.

Além disso, o paciente que tem implantes também deve continuar fazendo as consultas periódicas no dentista. Pois, para todas as pessoas, o acompanhamento profissional é fundamental para eliminar precocemente focos de placa bacteriana que possam resistir aos cuidados diários de higiene em casa. Quando bem cuidado, um implante bem feito é algo para toda a vida.