Dentistas dão dicas para higienização bucal mais eficaz

periodontistas
As periodontistas Janine (esq.) e Marlei (dir.): orientação de pacientes sobre a correta higiene bucal faz parte da rotina em consultório.

Higienização é uma palavra-chave quando pensamos em cuidados com os dentes e com as gengivas. Fio dental, escova e pasta são os melhores amigos da prevenção de problemas bucais. Mas não basta usá-los. É preciso fazer isso do jeito certo.

Uma escovação adequada deve durar, no mínimo, dois minutos (120 segundos). Grande parte das pessoas não chega nem próximo desse tempo no dia a dia, nem mesmo na escovação noturna – importantíssima para evitar a proliferação de bactérias na cavidade bucal durante a noite.

“É importante não confundir maior tempo de escovação com maior força empregada no ato. São coisas completamente diferentes”, destaca a periodontista Janine Fernandes.

Dedicar mais tempo à limpeza dos dentes é algo benéfico, enquanto que empregar força excessiva e movimentos brutos é algo que pode ser prejudicial, causando lesões nas gengivas e desgastes no esmalte dos dentes, por exemplo.

A limpeza dos dentes deve ser feita com movimentos circulares suaves e curtos, com especial atenção à margem gengival, onde se forma a placa bacteriana. Difíceis de alcançar, os dentes posteriores também jamais devem ficar de fora da higienização.

Os molares são dentes com muitos sulcos e reentrâncias que favorecem o depósito de restos alimentares. Se a limpeza não é feita corretamente, o caminho está aberto para as cáries. Além disso, o acúmulo da placa bacteriana nos terceiros molares – muitas vezes mal posicionados – também leva ao surgimento de problemas gengivais bastante incômodos na região, como a pericoronarite.

Escovas de dentes excessivamente duras e pastas dentais muito abrasivas também são outros equívocos comuns entre quem se preocupa com uma boa higienização bucal. Para pessoas com propensão à sensibilidade nos dentes, pacientes com doença periodontal e pessoas que tenham recessão gengival, isso pode ser ainda pior, conforme aponta a periodontista Marlei Bonella.

Segundo a especialista o ideal é que o paciente sempre seja orientado pelo seu dentista de confiança (conheça aqui o Corpo Clínico do IOS) sobre o melhor sistema e técnica de escovação para o seu caso específico.

“O dentista conhece as características do paciente e dos seus dentes e, ao mesmo tempo, sabe sobre detalhes em relação à higiene oral que passam despercebidos pelas pessoas. Por isso, uma orientação individualizada faz sempre grande diferença para o paciente”, ressalta.

Para uma avaliação individualizada, marque a sua consulta.

Tanto a Dra. Marlei quanto a Dra. Janine ressaltam que a orientação sobre a escovação faz parte de suas rotinas com os seus pacientes. Elas observam também que alguns casos podem exigir a indicação de kits especiais de higienização, com escovas de anatomia diferenciada, pastas com compostos específicos e fio dental especial. São situações como a de pacientes que tenham próteses ou implantes, pacientes em tratamento periodontal, pessoas que usem aparelho dentário, etc.

DICAS DE HIGIENIZAÇÃO BUCAL

  • Use o fio dental entre todos os dentes, antes da escovação;fio dental 2
  • Use aproximadamente 40 centímetros de fio, deixando um pedaço livre entre os dedos;
  • Siga as curvas dos dentes com cuidado para não machucar as gengivas;
  • Assegure-se de limpar além da linha da gengiva, mas não force demasiado o fio contra a gengiva;
  • Escove as superfícies voltadas para as bochechas dos dentes superiores e, depois, dos inferiores;escova
  • Escove as superfícies internas dos dentes superiores e, depois, dos inferiores;
  • Em seguida, escove as superfícies de mastigação;
  • Para ter hálito puro, escove também a língua, local onde muitas bactérias ficam alojadas.

IMPORTANTE

– A não ser que haja alguma orientação específica do seu dentista, dê preferência a escovas de cerdas macias e com cabeças menores (pois alcançam melhor todas as regiões da boca);
Troque sua escova a cada três meses;
– Adultos devem dar preferência a pasta dental enriquecida com flúor;
– Pastas que prometem efeito clareador ou tira-manchas podem ser muito abrasivas e favorecer a sensibilidade dos dentes. Antes de optar por esse tipo de produto é importantíssimo ouvir a opinião do dentista.

Veja aqui como agendar a sua consulta.