Escova: item pessoal e intransferível

escova 4A hepatite, em seus vários tipos, é, em grande parte das vezes, uma doença silenciosa, perigosa, e que se alastra com grande facilidade quando os devidos cuidados não são tomados. Por isso, o Ministério da Saúde promove todo ano a Campanha Nacional de Luta Contra as Hepatites Virais, tendo o dia 28 de julho como o Dia de Combate às Hepatites Virais.

A causa tem simplesmente tudo a ver com boca e saúde e, por isso, ganha um post especial aqui no nosso blog.

Um dos meios de transmissão da doença é o uso compartilhado de escovas dentais. Para muitos, pode parecer elementar pensar que esse é o tipo de coisa que não se compartilha. Mas não é bem assim.

Aqui mesmo no blog já fizemos inúmeros posts sobre a falta de acesso ao kit básico de higiene oral (escova + pasta + fio dental) por grande parte da população carente do país. Existe até um excelente vídeo da Turma Dentistas do Bem (TdB) que mostra a realidade de diversas famílias brasileiras que usam uma única escova dental.

Para além das questões sócio-econômicas, existem também as questões sócio-culturais. Conscientizar a população de uma forma geral (e não só às pessoas carentes financeiramente) que determinados comportamentos aumentam o risco de exposição a determinadas doenças é uma tarefa árdua.

Um obstáculo verificado em relação às hepatites virais é o fato de a doença ser silenciosa ou de ter um período de encubação longo, dependendo do tipo. Assim, muitos são portadores e não sabem. E, portanto, são potenciais disseminadores da doença.

Informação, a prevenção e o tratamento adequado são fundamentais no combate às hepatites virais. O maior e melhor conselho nesse sentido é: esteja atento aos seus exames de rotina e às vacinas recomendadas e, em paralelo, converse sempre com o seu médico e o seu dentista de confiança sobre hábitos e atitudes que podem fazer a diferença para a sua saúde. Orientação e prevenção nunca são demais.