Precisamos falar sobre a boca diabética

bca diabeticaVocê provavelmente já ouviu falar no pé diabético, expressão comum para se referir ao fato de que os pés das pessoas que sofrem dessa doença precisam receber atenção especial – porque uma série de alterações anatomopatológicas e neurológicas periféricas ocorrem nessa região, levando a lesões e probabilidade maior de infecções. Pois estamos aqui hoje para dizer que já é hora também de falarmos da boca diabética.

O Dia Internacional do Diabético é hoje, 27 de junho. E, nessa oportunidade, este aspecto tão especial e tão delicado que é a saúde bucal do diabético precisa ser ressaltado. Já é mais que hora de o tema entrar em pauta nas campanhas de prevenção e conscientização.

Pessoas que sofrem de diabetes estão especialmente vulneráveis ao risco da doença periodontal (e de todas as suas complicações). Pesquisas mostram que indivíduos que sofrem de diabetes do tipo I estão especialmente mais propensos a esse problema do que is que sofrem do diabetes tipo II, devido aos picos de insulina sofrido pelo organismo.

Entretanto, hoje, o que se preconiza é que em ambos os tipos de diabetes, o paciente submeta-se a um rigoroso acompanhamento odontológico, preferencialmente com o periodontista (dentista especializado no tratamento da gengiva).

A doença periodontal é a sexta principal complicação do diabetes mal controlado em todo o mundo.

O que acontece é que o organismo diabético como um todo é mais susceptível a infecções bacterianas, e com as gengivas não é diferente. Por isso, se a placa bacteriana e o cálculo dentário já são uma ameaça para todas as pessoas, para aqueles que sofrem de diabetes a susceptibilidade é ainda maior.

Além dos problemas gengivais, há outros problemas bucais relacionados com diabetes, como a candidíase (popularmente conhecido como “sapinho”, esse problema é causado por um fungo que se prolifera na boca). Essas pessoas também costumam ter diminuição de saliva (boca ressecada), situação que contribui para o surgimento de aftas, úlceras e outras infecções bucais, além de cáries.

MEDIDAS DE CONTROLE DA BOCA DIABÉTICA

  • A principal medida preventiva dos problemas bucais relacionados ao diabetes está no controle dos níveis de açúcar do sangue. Para isso, o acompanhamento médico, com uso de medicamentos e alimentação balanceada para esses pacientes é fundamental;
  • Para o diabético, também é indispensável o acompanhamento do periodontista, realizando limpezas periódicas para a remoção da placa bacteriana e evitando a formação do cálculo dentário;
  • Esses pacientes também devem buscar manter uma higienização rigorosa no dia a dia, com o uso de fio de dental e escovação após todas as refeições, evitando assim a proliferação de bactérias na boca, que é mais susceptível a quadro infecto-inflamatórios;
  • Com a orientação do dentista, a pessoa deve procurar eleger escovas macias, que promovam bem a limpeza dos dentes, mas que não causem lesões na gengiva;
  • Quando o paciente já tem doença periodontal instalada (gengivite ou periodontite), o paciente precisa ser orientado sobre técnicas especiais de escovação (que continua a ser importantíssima para o controle do quadro), a fim de evitar de machucar ainda mais e agravar as lesões existentes;
  • Beber muita água é sempre importante e, para quem eventualmente esteja com pouca produção de saliva, a medida ajuda a hidratar os tecidos bucais e a evitar a instalação de fungos e proliferação de bactérias nessa região.