Saiba tirar partido das escovas especiais

Escovas de dentes com anatomias diferenciadas podem ser grandes aliadas para uma higienização bucal mais eficaz, em casos especiais. Entretanto, a escolha do modelo e o seu uso exigem a orientação do dentista.Escovas especiais

Na verdade, o ideal seria que todas as pessoas fizessem um bom acompanhamento odontológico  e sempre buscassem conversar com o seu dentista sobre a sua higienização bucal. Afinal, quando conhecemos as características clínicas e morfológicas da arcada dentária, o histórico do paciente e temos noções sobre seus hábitos, por exemplo, sempre podemos contribuir com orientações específicas para que o cuidado doméstico com a saúde bucal seja mais eficiente.

Mas, para o paciente que não está apenas realizando a profilaxia, mas sim passando por um tratamento, seja ele qual for, ouvir e acatar a orientação do dentista em relação às técnicas e acessórios de higienização é algo indispensável. Saber como cuidar dos dentes em casa é saber zelar pela manutenção do trabalho realizado em consultório.

A primeira coisa a se ter em mente é que assessórios como escovas com formatos especiais poderão ser indicados, mas em princípio, eles NÃO visam substituir o uso da escova normal e a necessidade de usar fio dental. Geralmente, esses itens diferenciados figuram como importantes AUXILIARES na higienização bucal de um paciente com alguma situação especial.

Imagem mostra um erro comum que as pessoas cometem no uso da escova interdental.
Imagem mostra um erro comum que as pessoas cometem no uso da escova interdental.

Uma situação comum com o qual muitas vezes nos deparamos é o uso equivocado da escova interdental por quem realiza implantes dentários. Existem inclusive sites na Internet, feito por leigos, que equivocadamente indicam a utilização desse acessório como substituto do fio dental – o que pode acabar lesionando a gengiva e causando problemas periodontais.

Quando o paciente, equivocadamente, faz uso da escova interdental para limpar áreas entre os dentes, substituindo o fio dental, isso pode traumatizar a gengiva, levando a lesões que causarão recessão e perda de gengiva interproximal (entre os dentes) e causando os chamados pontos negros (áreas sem gengiva), algo que não é nada desejável esteticamente e que pode vir até mesmo a comprometer a estabilidade do implante.

Vejamos então alguns exemplos de escovas com modelos especiais e algumas observações sobre a sua utilização:

ESCOVAS INTERDENTAIS

Modelo de escova interdental.
Modelo de escova interdental.

Composta de uma única haste com fios de nylon dispostos em forma cilíndrica (lembram uma pequena escova de mamadeira) ou cônica, essa escova foi desenvolvida para alcançar áreas onde a escova normal não alcança.

Essa escova pode ser indicada, por exemplo, para o paciente que tem diastema (distância muito grande entre dentes), devido ao fato de haver uma tendência de maior acúmulo de restos alimentares nessa região e das escovas normais não serem projetadas para limpar essas áreas com essa característica morfológica específica. Além disso, esse tipo de escova também pode ser recomendada para quem usa aparelho ortodôntico.

Escova interdental sendo usada para a limpeza de dentes com aparelho ortodôntico.
Escova interdental sendo usada para a limpeza de dentes com aparelho ortodôntico.
Escova interdental usada para limpar a base de próteses totais.
Escova interdental usada para limpar a base de próteses totais.

Outro uso geralmente recomendado para as escovas interdentais é para o paciente que tem prótese fixa sobre implantes. Neste caso, por se tratar de um tipo de prótese que faz a substituição total da arcada ou pelo menos de uma grande área dela, a função da escova interdental é alcançar a base dessa prótese para fazer a sua correta higienização, tal como exemplificado na foto acima.

ESCOVAS UNITUFO

Ilustração mostra modelo de escova unitufo.
Ilustração mostra modelo de escova unitufo.

Como o próprio nome diz, trata-se de uma escova que tem um único tufo de cerdas.

Ilustração mostra dois implantes servindo de suporte para três próteses dentárias. Um caso em que a escova unitufo pode ser indicada para a higienização.
Ilustração mostra dois implantes servindo de suporte para três próteses dentárias. Um caso em que a escova unitufo pode ser indicada para a higienização.

Ela costuma ser indicada para pacientes que realizaram implantes dentários, nos casos em que dois implantes sustentam uma terceira prótese (como no exemplo da imagem abaixo), pois, neste caso, o conjunto dos três dentes forma uma peça única, não havendo condição para uso do fio dental entre eles. 

Além disso, essa escova também pode ser especialmente indicada para a escovação de dentes que estão irrompendo ou, até mesmo, para uma melhor higienização de dentes apinhados.

Da mesma forma que a escova interndental, o uso complementar da escova unitufo, quando indicado, não dispensa o uso da escova de dentes normal.

ESCOVA COM CABEÇA FLEXÍVEL

Escovas com cabeça flexível podem ser de grande auxílio para quem está em tratamento periodontal.
Escovas com cabeça flexível podem ser de grande auxílio para quem está em tratamento periodontal.

Quando falamos de escovas de dentes normais, o ideal é que elas sempre sejam do tipo macia, para evitar lesões nas gengivas. Além disso, a pessoa não deve colocar força excessiva no ato da escovação, ao ponto de se machucar, pois a gengiva constantemente agredida torna-se um foco fácil para infecções e instalação da doença periodontal.

Porém, quando o paciente já tem a doença periodontal instalada ou apresenta recessão gengival (sequela da doença periodontal), muitas vezes é recomendado que ele escolha uma escova de cabeça flexível. Nesses modelos, as cerdas são inseridas numa base de borracha, o que torna a cabeça da escova mais maleável, suavizando a força aplicada na escovação.