Selante cria barreira contra ação de bactérias nos dentes

Hoje vamos falar de uma técnica que, normalmente, é apresentada aos pais de crianças em idade escolar ou de pré-adolescentes, mas que pode beneficiar também muitos pacientes com algumas características ou necessidades especiais. Trata-se do selamento de dentes, um procedimento que visa evitar a cárie.

Um selante é uma espécie de “verniz” que se aplica na superfície de dentes sadios, com o objetivo de prevenir que ali se acumulem bactérias causadoras da cárie. As unidades dentárias que apresentam muitos sulcos e fossas em sua superfície são consideradas áreas de risco e, por isso, eleitas para receber esse tipo de tratamento.

É indicada a aplicação de selante de fissuras nos primeiros e segundos molares definitivos, bem como nos pré-molares, cujo período de erupção varia entre os 5-8 anos e os 11-14 anos, respectivamente. E é por isso que, geralmente, esse procedimento acaba sendo mais apresentado em consultórios odontopediátricos.

À esquerda, podemos ver os sulcos dos dentes, antes da aplicação do selante; já à direita, a mesma unidade dentária, com os sulcos preenchidos pela resina.
À esquerda, podemos ver os sulcos dos dentes, antes da aplicação do selante; já à direita, a mesma unidade dentária, com os sulcos preenchidos pela resina.

Entretanto, em algumas situações especiais, a indicação pode ser muito bem-vinda para o paciente adulto ou mesmo idoso. Entre elas: quando o paciente tenha alguma patologia em que apresente pouca quantidade de saliva (xerostomia), saliva muito viscosa (como no caso de pacientes que tenham algumas doenças crônicas, façam uso de alguns medicamentos de fora permanente ou são fumantes) ou quando é portador de limitações físicas ou mentais, por exemplo.

Vale lembrar que o selante somente é indicado para dentes que ainda não apresentaram cárie, ou que no máximo estejam com uma cárie em estágio inicial.

Nesses casos, o selamento de dentes tende a ser considerado um recurso eficaz em termos preventivos, prevenindo todos os incômodos e dores que o surgimento ou a evolução de uma cárie pode trazer para o paciente, bem como os custos de futuras restaurações.

Entretanto, a aplicação do selante não deve se constituir numa medida isolada e, tampouco, substitutiva da escovação, do uso do fio dental e da visita periódica ao dentista para a realização de limpeza em consultório – afinal, não é apenas na superfície rugosa dos dentes que as bactérias podem se alojar, pois a placa bacteriana (biofilme) e o cálculo dental têm especial preferência por áreas entre os dentes e as gengivas, isto é, áreas lisas, onde de nada adianta a aplicação de selantes a fim de evitar a cárie.

O selamento tampouco adianta também para evitar a doença periodontal (gengivite e/ou periodontite), que é causada pelo processo infecto-inflamatório das gengivas por causa da presença de bactérias.

O que tudo isso mostra é que a Odontologia moderna está muito bem servida de técnicas e de procedimentos eficazes para tornar as cáries e os problemas periodontais coisas do passado. Um bom dentista deve estar atento e ser capaz de apresentar ao paciente um plano preventivo que observe as suas características e necessidades particulares.

Converse com um profissional de sua confiança.

SAIBA MAIS SOBRE O USO DE SELANTES

O que são: são resinas aplicadas nas superfícies dos dentes, que agem como uma película protetora dos sulcos e reentrâncias, evitando que aconteça ali o acúmulo de restos alimentares e a proliferação de bactérias causadoras das cáries.

Quem pode usar: os selantes podem ser aplicados tanto em crianças com dentes decíduos (de leite) quanto naquelas que já tenham dentes permanentes, e também em adultos e idosos que ainda conservem dentes naturais.

O que acontece depois: o selante é uma barreira física de proteção dos sulcos dentários, que torna mais fácil a higienização, evitando o acúmulo de bactérias onde, por alguma razão, seja mais difícil o trabalho da escova e do fio dental. Mas isso NÃO elimina a necessidade e a importância da higienização mecânica normal. Pelo contrário, serve para auxilia-la. A limpeza periódica em consultório também continua sendo indicada para a eficaz remoção da placa bacteriana e do cálculo dentário, prevenindo a doença periodontal.