Uma corrente para o bem

Nesta semana, 40 profissionais receberam, na Câmara Municipal da capital, diplomas de Honra ao Mérito por trabalhos voluntários realizados na Grande Vitória. Eu estava entre eles, e foi uma experiência especial vivenciar esse momento junto a tanta gente engajada no propósito de fazer outras pessoas felizes e de contribuir para criar um mundo melhor. TdB homenagem

Durante todo o evento, eu ainda estava (como ainda estou) sob o impacto de uma notícia trágica que se abateu sobre a minha equipe, na última segunda-feira. Num episódio estúpido de violência, uma de nossas colaboradoras perdeu um ente querido.

Em meio a tudo isso, muitas reflexões me ocorreram.

Veio-me a convicção de que, perante a realidade tão dura em que vivemos, é ainda mais relevante, mais necessário e urgente o envolvimento pessoal de cada um naquilo que puder fazer para ajudar a construir uma sociedade mais sadia, mais justa, mais humana, onde a vida receba o valor que merece.

Na verdade, acredito piamente que este é o único caminho.

Penso que só teremos chances de mudar a realidade quando cada um de nós começar a se importar e começar a agir. Mudando de pouco em pouco, acredito, sim, que podemos fazer muito.

Durante o evento na Câmara Municipal, ouvi depoimentos que me emocionaram.

Foram relatos como as da Roszigraci Simões de Oliveira, fundadora do Programa Social Especialistas do Riso, que usa a arte como terapia de humanização hospitalar. Ela acompanhava sua mãe no hospital e percebeu, vivenciando a experiência, como aquele ambiente era triste e como isso impactava os doentes. Desde então, dedica-se a levar o riso e a alegria a pacientes internados em hospitais da Grande Vitória.

Outro exemplo inspirador está na história de vida da Dra.Telma Dias Ayres, que há 52 anos é voluntária e há 31 está à frente da Associação Feminina de Educação e Combate ao Câncer (Afecc).

De minha parte, o projeto que escolhi abraçar foi o da Turma do Bem, do qual sou coordenadora em Vitória, junto com as dentistas Maíra Gama e Vanessa Leal. Por conta desse trabalho, vou às escolas dos bairros, faço triagem, selecionando adolescentes e jovens que necessitam de tratamento dentário. Atendo alguns desses pacientes no meu consultório e outros são encaminhados para colegas dentistas, também voluntários da TdB.

Mas, jamais quero esquecer que não realizo nada sozinha. Somos uma equipe e estamos todos juntos.

Assim, a homenagem que recebi nesta semana é uma homenagem que estendo àquelas que estão comigo o ano inteiro no consultório: Carolina Potásio, Franciele Alves e Glace Kelly Ribeiro Moura, minhas auxiliares. Elas participam comigo no trabalho voluntário, indo às escolas e me ajudando nas triagens e também agendando, auxiliando e vibrando pelo tratamento de cada criança beneficiada.

A beleza do trabalho voluntário está aí, nessa Corrente do Bem – que, não por acaso, é o nome de um filme lindo sobre a história de um jovem que crê ser possível mudar o mundo a partir da ação voluntária. Quem não viu, proponho que veja (deixo aqui um link do trailer). Pois é disso que falo aqui hoje, dessa rota que podemos achar para começar a mudar a realidade que nos cerca.

Dra. Marlei Bonella.